Da deriva continental às placas tectônicas: de que forma trabalham o planeta e a ciência


O conhecimento sobre como nosso planeta funciona e como nossa vida é afetada por este funcionamento dinâmico e cada vez melhor caracterizado e compreendido, foi a base da palestra que a Profª Draª Maria Cristina Motta de Toledo (EACH/USP) apresentou em mais uma edição do programa "Ciência às 19 Horas", evento ocorrido no dia 16 de maio e que abordou o tema "Da deriva continental às placas tectônicas: como trabalham o planeta e a ciência". Nessa palestra, a oradora abordou não apenas o que se conhece hoje acerca das placas tectônicas, seus movimentos, seus efeitos e conexões com outros processos da Natureza, mas de como esse conhecimento foi adquirido, por meio de uma longa evolução de observações, reflexões e discussões, utilizando o método científico.

A teoria da Tectônica de Placas tem sido cada vez mais divulgada nos meios de comunicação e verifica-se um interesse crescente com relação aos detalhes dos processos dinâmicos envolvidos e também com relação às razões pelas quais esta teoria se encontra tão fortemente estabelecida.

Convidada a falar um pouco sobre este tema, mesmo antes de sua apresentação, Maria Cristina Motta de Toledo referiu que a teoria da Tectônica de Placas tem sido cada vez mais divulgada nos meios de comunicação e verifica-se um interesse crescente com relação aos detalhes dos processos dinâmicos envolvidos e também com relação às razões pelas quais esta teoria encontra-se tão fortemente estabelecida. O movimento constante das placas tectônicas de nosso planeta tem impactos diretos sobre a vida que existe nele, e não só ao nível humano. A dinâmica interna de nosso planeta, o movimento quase constante dessas placas tectônicas é que provoca os terremotos e tsunamis e, com eles, algumas mudanças climáticas, a formação de recursos minerais e o crescimento de cadeias montanhosas, entre outros fatores.

Clique na figura abaixo para acessar a pequena entrevista concedida pela Profª Drª Maria Cristina Motta de Toledo antes de sua palestra.

(Rui Sintra - jornalista)